O eletroencefalograma ​

O eletroencefalograma
Conhecido popularmente como exame da cabeça, o eletroencefalograma avalia a atividade elétrica espontânea do cérebro, captada por meio de eletrodos fixados no couro cabeludo.  

Para que serve?
Também chamado de EEG, o teste ajuda a detectar alterações que possam justificar sintomas neurológicos, como, por exemplo, a perda de consciência e desmaios. Além disso, serve para avaliar pessoas em coma e para investigar alguns distúrbios do sono. Pode ainda ser útil para prestar esclarecimentos em outras enfermidades neurológicas, como tumores cerebrais, demências e doenças degenerativas do sistema nervoso, mas nestes casos é utilizado apenas como método auxiliar, sendo solicitado outros exames de imagem mais esclarecedores.

É indolor?
Sim, além de indolor o exame não é invasivo, podendo ser realizado por pessoas de qualquer faixa etária, inclusive crianças e gestantes.

Qual duração do exame?
Existem diferentes modalidades de eletroencefalograma, o que varia de acordo com a indicação do médico, geralmente solicitado por neurologista, neurocirurgião, clínico geral ou médico do trabalho.
A duração do exame depende da sua finalidade e da recomendação do médico. O EEG rotineiro, por exemplo, pode durar de 20 a 40 minutos, o EEG em sono ou vigília dura entre 8 e 12 horas. Há outros tipos, como o eletroencefalograma com mapeamento cerebral, onde os eletrodos colocados no couro cabeludo e os sinais são transmitidos para o computador, que os transforma em um mapa de cores e sinais a partir da atividade cerebral.