Quais sinais podem indicar que sua noite de sono não está sendo suficiente?

Fonte: CUIDADOS PELA VIDA
Colaboraram neste conteúdo: Dr. Shigueo Yonekura / Dr. Franco Martins

Uma noite de sono ruim muitas vezes não precisa de sinais para ser percebida. Se você sente que não adormeceu plenamente durante todo o período e desperta muitas vezes ao longo da noite, saberá exatamente o motivo de acordar se sentindo cansado. Mas é possível também não perceber nada de anormal durante o sono e passar o resto do dia cansado.

Principais sinais da noite de sono insuficiente
Neste segundo caso, os sinais de que o sono não foi suficiente aparecem depois, no decorrer do dia. “Acordar sem disposição, sonolência diurna, irritabilidade, cansaço, menor rendimento no trabalho e estudos, dificuldades de concentração, menos controle emocional, problemas de memória são alguns exemplos desses sinais. No longo prazo isso pode trazer consequências mais graves”, informa o neurologista especialista em sono Shigueo Yonekura.
Segundo o Dr. Franco Martins, especialista em medicina do sono e pneumologista, uma noite de sono ruim atrapalha o funcionamento do cérebro. “Durante o sono ocorre uma verdadeira limpeza de substâncias químicas acumuladas durante o dia, o que deixa o cérebro restaurado para se concentrar e ter bom desempenho. Quando o sono está inadequado, esse acúmulo aumenta, prejudicando a performance cerebral”, explica o médico.
Isso resulta nos sinais antes mencionados – queda da capacidade de concentração, aprendizado e memória, irritabilidade, sonolência diurna etc. “Esses sinais, inclusive, são responsáveis por acidentes, devido a cochilos indesejados ou falta de atenção. Quem dorme menos do que devia também tende a envelhecer mais rápido”, afirma o Dr. Franco.

Benefícios de dormir bem
Portanto, ter uma noite de sono adequada é essencial para o bom funcionamento do organismo e a saúde de um modo geral. “Quando dormimos bem, o nosso sistema imunológico sai reforçado, os níveis de estresse e ansiedade baixam e a pressão arterial fica regulada”, informa o Dr. Shigueo. Quem sofre com problemas de sono deve recorrer a um especialista que indique o tratamento adequado, o qual muitas vezes se baseia no uso de medicamentos.