Estresse: o inimigo do sono

Estresse: o inimigo do sono

A rotina estressante, o acúmulo de funções, a pressão no trabalho e o trânsito levam ao estresse, reação do organismo que afeta a saúde física, emocional e também causa a queda do sistema imunológico. Acordar cansado e com dores no corpo, por mais de uma semana, ter problemas de memória, podem ser sinais de alerta. 
De acordo com o neurologista e especialista em distúrbios do sono, Shigueo Yonekura, o estresse atinge o organismo de diversas formas e seus sintomas variam de pessoa para pessoa. Mas, a alteração do sono é um sinal evidente na maior parte dos casos. Quem está nesta situação dificilmente consegue ter uma noite repousante e acordar bem disposto no dia seguinte para ir ao trabalho. Em alguns pacientes o efeito pode ser inverso, com a presença constante da hipersônia (sono em excesso). Yonekura ressalta que o estresse é um dos principais inimigos do sono. Considerando que a má qualidade do sono e a sonolência excessiva podem trazer conseqüências graves ao nosso dia a dia, é preciso ficar atento e não correr o risco de ser mais um na lista das vítimas da epidemia mundial, o estresse. 
Confira alguns sinais do estresse:
Sintomas Físicos 
Dores de cabeça 
Indigestão 
Dores musculares 
Insônia 
Taquicardia 
Alergias 
Queda de cabelo 
Gastrite 
Mudança de apetite 
Dermatoses 
Hipersônia
Esgotamento físico 

Sintomas Psicológicos 
Apatia
Memória fraca 
Tiques nervosos 
Isolamento e introspecção 
Desmotivação 
Ansiedade
Sentimentos de perseguição 
Autoritarismo 
Irritablilidade
Emotividade acentuada 

O estresse pode ser dividido em dois tipos básicos: o crônico e o agudo. O primeiro é aquele que afeta a maioria das pessoas, sendo constante no dia a dia, mas de uma forma mais suave. O agudo é mais intenso e curto, sendo causado normalmente por situações traumáticas.
Principais causas do estresse
Mudanças bruscas e violentas na vida podem gerar dificuldades de adaptação, causando o estresse; 
A falta de tempo, o excesso de responsabilidade e expectativas exageradas; 
Alimentação incorreta e tabagismo; 
Ruídos podem provocar irritação e perda de concentração desencadeando reações de estresse, que podem levar até a exaustão; 
Baixa auto-estima 
O medo causa a preocupação sem necessidade, uma atitude pessimista em relação à vida ou lembranças de experiências desagradáveis. 
Trânsito: os congestionamentos, os semáforos, a falta de segurança no trânsito e poluição do ar e sonora podem desencadear o estresse; 
A alteração do ritmo habitual do organismo pode provocar irritabilidade, problemas digestivos, dores de cabeça e alterações no sono; 
Pressão e sobrecarga de trabalho: o trabalhador vive hoje sob tensão, além de suas responsabilidades, a alta competitividade das empresas exige dele aprendizado constante e enfrentamento de novos desafios, o que pode levá-lo ao estresse. 
Como lidar com o estresse?
Procure formas de relaxamento. Yoga, respiração profunda, meditação e massagem podem aliviar os sintomas;
Reserve tempo para si mesmo. Você pode reservar pelo menos 15 minutos diários para fazer algo para si, como tomar um banho relaxante em uma banheira e caminhar;
Dormir bem também ajuda o corpo e a mente. O sono de qualidade pode ajudá-lo a encarar melhor seus problemas; 
Alimente-se de forma saudável e correta. Frutas, vegetais e proteínas são indicados;
Praticar atividade física contribui para relaxar a musculatura tensa e ajuda a melhorar o humor; 
Se for preciso, procure ajuda profissional. A terapia pode ajudar em desordens mais sérias relacionadas ao estresse e existem medicamentos que podem auxiliam a dormir e aliviar os sintomas da depressão e ansiedade; 
Não lide com o estresse através de bebidas alcoólicas, cigarro ou exageros com a comida. 
Lembre-se: Uma boa noite de sono evita que o organismo acumule altos teores de cortisona. Esse hormônio é liberado em situações de estresse e contribui para a presença do mau humor.