Ninguém consegue dormir com você? Talvez sofra de apneia

 
RONCO: UM SINAL DE ALERTA PARA UMA DOENÇA GRAVE

O ronco, que causa constrangimento e desconforto, é considerado sintoma de uma doença grave: a apneia do sono. A apneia, interrupção da respiração durante o sono, é uma doença crônica progressiva que pode levar à morte se não for diagnosticada e tratada. Além do ronco, outros sintomas são sonolência excessiva diurna, dores de cabeça pela manhã, sensação de fadiga ao acordar, irritabilidade, falta de concentração e esquecimento. A apneia atinge com mais frequência homens acima de 40 anos e mulheres pós-menopausa. A impotência sexual atinge de 20% a 40% dos homens e o problema também aumenta em até sete vezes o risco de acidentes de trânsito.
Cerca de 30% das pessoas que roncam têm apneia do sono. A falta de tratamento pode levar à deterioração da função respiratória, aumento da pressão arterial, aumento do risco de acidente vascular cerebral, depressão, falta de concentração, infarto agudo do miocárdio e arritmias cardíacas que podem levar à morte.

Diagnóstico da apneia do sono
O diagnóstico definitivo da apneia é detectado pelo exame de Polissonografia,
onde o paciente tem o sono monitorado para verificação de paradas respiratórias, monitorização do coração, movimentos das pernas e grau de oxigenação do sangue. Todas as informações são registradas em um computador que serão analisadas por um médico. O objetivo é verificar a intensidade ou grau das paradas respiratórias.
Através da polissonografia, o médico poderá encaminhar o paciente para a melhor opção de tratamento.
O exame pode ser realizado no laboratório do sono ou na própria residência.  Por meio de polígrafos portáteis de última geração (Alice PDX-Philips Respironics), o exame domiciliar tem a mesma eficácia do realizado no laboratório.
 
Tratamento
E quem pensa que terá que sofrer pelo resto da vida com as consequências da apneia do sono está enganado.
O tratamento varia de acordo com a gravidade do caso. O primeiro recurso terapêutico é tentar reduzir os fatores agravantes da apneia.
Para tanto, o paciente precisa:

  •  Perder peso;
  •  Dormir de lado;
  •  Evitar o uso de bebidas alcoólicas, cigarros, além de calmantes e relaxantes musculares algumas horas antes de dormir.
  • Se essas medidas não forem suficientes, pode-se recorrer, ainda, à cirurgia para a remoção de obstáculos e correção de distúrbios anatômicos que dificultam a passagem de ar, uso de próteses orais que evitam a queda da língua para trás, e aos CPAPs, máscaras especiais que mantêm pressão positiva e contínua sobre as vias aéreas, evitando sua obstrução.
 
Se responder sim a qualquer uma das perguntas você pode ter apneia do sono:
-Fica muito sonolento ou sensação de falta de energia durante o dia?
-Ronca muito durante à noite?
-Tem pausas respiratórias quando dorme?
-Sensação de cabeça pesada ou fadiga quando acorda?