Tomar um copo de leite quente ajuda a adormecer?

https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/11/07/tomar-um-copo-de-leite-quente-ajuda-a-adormecer.htm

Giulia Granchi

Do UOL VivaBem, em São Paulo

Tomar um leitinho quente antes de ir para cama tem sido a recomendação de muitas mães, avós e outros entes queridos por gerações --e em diferentes países. Quem já experimentou a tática, garante que ela funciona. Mas como será que o hábito ajuda você naqueles dias em que o sono não vem?

Como o leite quente ajuda a dormir
As bebidas em temperatura quente ou morna tendem a trazer uma sensação de aconchego e segurança, o que pode ser um forte aliado para criar uma atmosfera confortável e que facilita o sono --junto com um quarto organizado e hábitos que facilitam o relaxamento, como desligar os aparelhos eletrônicos. Para muitos, o momento de tomar a bebida quente também tem um valor de memória afetiva, e faz com que a mente entenda que é hora de finalizar as atividades do dia e relaxar para dormir. O calor ainda tem outro papel importante: facilita processos de digestão e absorção, o que é benéfico para os nutrientes presentes no leite proporcionarem seus benefícios. 

Leite tem substâncias que facilitam o sono?

É comum ouvirmos que o leite auxilia o sono principalmente por ser fonte de triptofano. Realmente, esse aminoácido é usado pelo organismo para produzir a serotonina, substância conhecida por gerar sensação de bem-estar, ajudar a relaxar e atuar no cérebro regulando o sono e outros fatores, como humor e sensibilidade à dor.  No entanto, a quantidade do nutriente que o alimento fornece é pequena e não dá para garantir que ele gera efeito imediato. Ou seja, não é porque você tomou um copo de leite que seu corpo vai iniciar a produção serotonina e seus olhos vão fechar automaticamente. É o conjunto de vários elementos (como preparar um ambiente) e o consumo regular de triptofano o que realmente pode fazer a diferença.
Além do leite e derivados (queijo, iogurte), o aminoácido também é encontrado no amendoim, no frango, no ovo, no abacate, na banana entre outros alimentos.

Fontes: Andrea Bottoni, nutrólogo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e mestre em nutrição pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e Celso Cukier, nutrólogo da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.