Horário mais improdutivo no trabalho é 14h55-Jornal de Piracicaba


O relógio marca 14h55 e seu colega de trabalho está com cara de quem não dormiu a noite inteira. Do outro lado da sala, alguém olha fixamente para o computador e se diverte com o relatório que precisa entregar até o fim do dia e, ops, ao se aproximar, você percebe que, na verdade, a pessoa está navegando em sites de notícia ou mesmo dando aquela olhadinha rápida no Facebook. Mais à frente, outro colega de trabalho está tão entediado que até boceja. Normal? Para o neurologista Shigueo Yonekura, especialista em sono e médico do Instituto de Medicina e Sono de Piracicaba, sim. Isso porque segundo ele, é exatamente depois do almoço que o corpo pede algumas horinhas de descanso.


A sonolência nas primeiras horas da tarde é tão comum que, recentemente, virou objeto de estudos. De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa inglesa London Offices, 14h55 é, oficialmente, a hora mais improdutiva em escritórios ao redor do mundo. E nem é preciso ir tão longe para ver que o horário pode mesmo ser crítico.

A orçamentista Renata Molina, 27, confessa que o sono vem tão forte à tarde, que é preciso recorrer a alguns truques para despertar até que o expediente termine. “A parte da tarde com certeza é a mais crítica. Para não dormir, coloco uma música animada no iPod e tento aguentar até 17h30”, afirmou. Yonekura revela que o organismo precisa de alguns minutos de descanso pelo menos duas vezes ao dia todos os dias. “Temos duas necessidades de sono em 24 horas. A primeira delas é à noite, entre 19h e 23h. A segunda é exatamente depois do almoço, entre 13h e 17h. É um período de menor pressão do sono, mas é completamente fisiológico e compreensível. A pessoa tem necessidade de dormir”, comentou.

Segundo o neurologista, o ideal seria que todos os trabalhadores tivessem entre dez e 15 minutos de sono depois do almoço para melhorar o rendimento nas empresas. “É o chamado cochilo curto. Mesmo porque, se a pessoa dormir mais que 15 minutos durante a tarde, não vai descansar. A sesta é tradição em alguns países e algumas empresas brasileiras já disponibilizam espaços para seus funcionários tirarem um cochilo. Isso deveria ser feito em todas elas.”

Ainda segundo Yonekura tirar um cochilo logo depois do almoço é tão importante que melhora, inclusive, a concentração e a memória. “O organismo fica mais disposto para continuar as atividades no resto do dia.”

A estagiária Fernanda Eloy, 27, também vê o pós-almoço como o período mais crítico do dia e tem o café como principal companheiro para combater a sonolência. “Tenho muito sono na parte da tarde. Tomo café o dia todo.” Já Laís Ferraz de Toledo, 22, colega de trabalho de Fernanda, confessa que as manhãs costumam ser muito piores. “Para driblar o sono procuro sempre estar com a mente ocupada, não ficar parada. Procuro estar sempre fazendo alguma coisa.”