Volta às aulas: Hora de ajustar a rotina do sono

Volta às aulas: Hora de ajustar a rotina do sono
 
Após o período de férias escolares, os alunos precisam ajustar o relógio biológico e seguir uma rotina mais rígida nos horários de dormir e acordar. Durante os dias de descanso, as crianças e adolescentes ir para a cama e acordar mais tarde, o que dificulta o retorno às aulas.
 
De acordo com Shigueo Yonekura, neurologista do Instituto de Medicina do Sono de Campinas e Piracicaba, é comum encontrar alunos sonolentos nos primeiros dias de aula, com dor de cabeça, irritabilidade, com sensação de cansaço e com dificuldades de concentração, principalmente quem vai à escola no período da manhã.
 
Para amenizar os efeitos da sonolência, o especialista em sono pelo Hospital das Clínicas da USP orienta a criança a dormir cerca de dez horas e os adolescentes em média nove horas. “Ter uma boa noite de sono ajuda o estudante a ter disposição para manter um bom nível de atenção. Dormir bem e durante as horas recomendadas para cada faixa etária contribui para manter o corpo mais saudável”, destaca.
 
O sono é essencial para a consolidação da memória e desempenho intelectual. Sem uma noite de descanso reparador, os alunos não conseguem reter tudo que aprendem. “Enquanto dormimos, principalmente durante os sonhos, gravamos tudo o que aprendemos durante o dia. Ter um sono de qualidade ajuda o estudante a ter disposição para manter um bom nível de atenção”, reforça o médico.
 
O sono também ajuda no crescimento e diminui as chances de infecções. “A criança que dorme pouco tende a crescer menos, já que durante o sono o corpo secreta o GH, o hormônio do crescimento”, ressalta Yonekura.
 
O médico destaca a importância de manter um ambiente limpo, escuro, silencioso e com temperatura adequada para o descanso. Para preparar as crianças para o momento de deitar, os pais devem garantir que os filhos façam atividades calmas e relaxantes durante a noite, como ler livros ou histórias em quadrinhos.  Programas de televisão violentos e videogames, por exemplo, devem ser evitados, já que estimulam a produção de adrenalina, o que dificulta o sono. A prática de exercício físico intenso deve ser evitada de 3 a 4 horas antes de deitar.  
 
Alimentos com alto teor energético, como chocolates e guloseimas, assim como refrigerante e café, devem ser consumidos em horários adequados, já que possuem elementos que provocam agitação.
 
O médico frisa o uso de eletrônicos, como tablets e smartphones, como outro ponto importante no que diz respeito ao sono dos estudantes. As luzes de telas eletrônicas, como as emitidas pelos aparelhos, podem atrapalhar o descanso. Isso porque a produção de melatonina, hormônio que ajuda as pessoas a adormecerem, pode ser inibida pela luz, principalmente a partir da parte azul do espectro. A luz azul à noite pode confundir o organismo, fazendo-o acreditar que é dia, o que aumenta o ritmo dos batimentos cardíacos, além de fazer com que a pessoa fique alerta.