Semana Santa: redobre os cuidados na estrada

Se você vai viajar neste feriado, fique atento. Conforme dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), cerca de 30% dos acidentes acontecem quando o motorista dorme ao volante. O índice é ainda maior nas estradas onde a viagem é monótona, com longas retas ou pouco movimento de veículos trafegando.
 
Quando a pessoa está sonolenta, a capacidade de concentração e de reflexo diminui, o que pode gerar acidentes, inclusive fatais. “Os motoristas com sono podem representar um perigo tão ou mais grave do que o álcool ou a velocidade excessiva nas estradas”, alerta o neurologista do Instituto de Medicina do Sono de Campinas e Piracicaba, Shigueo Yonekura.
 
Ele diz que o condutor precisa estar descansado antes de pegar a estrada e deve optar por um horário que ele se sinta bem para dirigir. O ciclo vigília-sono no corpo humano apresenta dois períodos em que a pressão para dormir é maior. Entre duas e quatro da manhã, e o outro, entre o início e o meio da tarde.
 
Conforme o neurologista, o motorista utiliza três funções importantes para dirigir: cognitiva, motora e sensório-perceptiva. A primeira está ligada à atenção, concentração e agilidade mental. A segunda permite ao motorista realizar movimentos de cabeça, braços, pernas, etc. Já a terceira está relacionada à sensibilidade tátil, visão e audição. “O sono deve estar em dia para que as funções atuem de maneira adequada e o condutor esteja preparado para enfrentar as rodovias”, afirma.
 
Entre as dicas para evitar acidentes é levar alguém para acompanhar na viagem, já que conversar durante o trajeto é uma boa maneira de espantar o sono, além de existir a possibilidade de revezar a direção do veículo em caso de cansaço.
 
Em rodovias com muitas retas e pouco movimento de veículos, o motorista tende a relaxar mais, facilitando a chegada do sono. Nessa situação, a orientação é movimentar os olhos, visualizando a todo momento os retrovisores, os indicadores do painel e também outros instrumentos do veículo. O ideal também é fazer paradas e descansar a cada duas horas, além de não fazer uso de álcool ou qualquer medicamento com efeito sedativo quando tiver de pegar a estrada. Também é preciso ficar longe dos remédios estimulantes, que não são seguros e prejudicam a saúde. “Se a vista começa a embaçar, está na hora de encostar o veículo, lavar o rosto e descansar”.
 
Outra recomendação de Yonekura, que é especialista em distúrbios do sono pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), é evitar comer em excesso antes de dirigir, já que alimentos pesados e em demasia podem aumentar a sonolência.