Distúrbio pode gerar comportamento violento durante o sono

Casos de comportamento violento durante o sono são pouco conhecidos, mas o problema chega a afetar 2% da população e pode se tornar perigoso se não diagnosticado e tratado.
 
Pacientes que sofrem distúrbios do comportamento do sono REM (fase do sono na qual ocorrem os sonhos) têm pesadelos em que são atacados e perseguidos, o leva à agressividade, como socos e chutes ao parceiro, além de gritos e choro durante o sono. “O transtorno, que leva as pessoas a agirem fora de seus sonhos, pode causar ferimentos, tanto para quem sofre do distúrbio, como para quem dorme ao lado”, comenta o neurologista do Instituto de Medicina do Sono de Campinas e Piracicaba, Shigueo Yonekura.
 
Para diagnosticar o problema, o paciente deve passar por exame clínico completo,  avaliação neurológica e fazer o exame de polissonografia, onde são avaliados diversos parâmetros fisiológicos durante o sono – atividades cerebral e muscular, movimentos oculares, respiração, teor de oxigênio, eletrocardiograma, registro de ronco e posição corporal, entre outros. Com o tratamento correto, evita-se que, ao entrar na fase REM do sono, o paciente execute golpes, pule ou seja agressivo.
 
Os transtornos causados pelo distúrbio vão além da agressividade durante a fase REM. Conforme o especialista em sono pelo Hospital das Clínicas da USP, o problema pode ser um sinal precoce de doenças do cérebro, incluindo o mal de Parkinson e demência. A explicação está nos níveis de dopamina no cérebro, que vão diminuindo rapidamente ao longo dos anos nos pacientes com distúrbio comportamental do sono REM. Na doença de Parkinson, a deficiência de dopamina na substância negra provoca rigidez, tremor e lentidão no movimento dos pacientes.