Insônia atinge 40% das mulheres



Para quem valoriza uma boa noite de sono e busca qualidade de vida, a insônia pode ser um pesadelo. O problema afeta cerca de 30% da população mundial e as mulheres são as mais atingidas. O distúrbio causa sofrimento e um em cada três adultos não consegue dominar o cansaço e obter um descanso reparador. 
O médico Shigueo Yonekura, especialista em distúrbios do sono pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), explica que a insônia pode ser classificada em três categorias. A transitória é a mais comum e geralmente se manifesta em momentos que antecedem um acontecimento importante como, por exemplo, um exame ou entrevista de trabalho. A insônia de curto prazo persiste durante várias semanas e surge de uma situação de estresse ou crise. Já a crônica pode trazer muitos transtornos e sofrimento por meses e até por anos. 
Independente da categoria, a insônia pode ser tratada e curada. A automedicação não é aconselhável e quando o problema supera a categoria de curto prazo é preciso buscar o auxilio de um médico. Mas, poucos insones se tratam, aproximadamente 30% falaram do distúrbio com um médico. Dos que sofrem de insônia 25% tem dificuldade de iniciar o sono, 36% de manter o sono, 24% sofrem de um despertar precoce e 40% despertam cansados.
De acordo com Yonekura, que também é administrador do Instituto de Medicina e Sono de Campinas e Piracicaba, um terço da humanidade tem tendência à insônia e cerca de 40% das mulheres têm o problema. 
Algumas dicas podem ajudar a amenizar a situação. Medidas simples podem deixar o quarto convidativo para uma boa noite de sono e afastar substâncias e atitudes estimulantes. Evitar assistir televisão no quarto, deixar o ambiente escuro e confortável, ir para a cama somente na hora dormir, não fazer uso de álcool próximo ao horário de dormir, não exagerar em café, chá e refrigerante, fazer exercícios físicos em horários adequados e nunca próximos à hora de dormir e não levar problemas para a cama.
Um alongamento relaxante antes de dormir deveria fazer parte da rotina das pessoas. Yonekura comenta que as dores causadas por tensão muscular dificultam o sono e um alongamento deixa os músculos mais relaxados. Outra atitude que ajuda no combate à insônia é manter uma rotina regular, como horários certos para comer, tomar banho, dormir e acordar.