Noites mal dormidas aumentam risco de gripe e infecções

Por Shigueo Yonekura, neurologista do Instituto de Medicina e Sono de Campinas e Piracicaba, com especialização em sono pelo Hospital das Clínicas da USP 
 
Responsável pela proteção do nosso organismo contra doenças, o sistema imunológico pode ser comprometido pela privação do sono. Os principais sintomas da imunidade baixa estão relacionados com a diminuição das defesas contra vírus, bactérias e fungos, que acabam causando problemas frequentes de saúde, como gripe, resfriado, náuseas, diarreia e infecções recorrentes.
 
Para manter o corpo saudável, a população adulta deve dormir de 7 a 8 horas por noite, em um ambiente escuro, silencioso e com temperatura agradável. Nos dias de hoje, muitas pessoas estão trocando as horas de descanso por outras atividades, além do uso de computador, tablets, smartphones e outros eletrônicos, sem pensar nas consequências para o organismo.
 
A privação do sono diminui a quantidade e a função das células responsáveis pela imunidade. Os anticorpos não são mais produzidos na quantidade adequada ou se tornam incapazes de proteger o organismo corretamente. Como consequência, o corpo fica vulnerável a uma série de doenças.
 
Além da quantidade, é preciso ficar atento à qualidade do sono. O ideal é não ter interrupções à noite e evitar despertar diversas vezes, tratando problemas como ronco e apneia do sono, que podem ser os causadores de noites mal dormidas.